Câncer silencioso: o que é preciso saber se os sintomas não são óbvios

Os cânceres silenciosos são aqueles sem sintomas perceptíveis. Eles representam um desafio único para a detecção e o tratamento precoces.

Click aqui para seguir o Canal Folha do Vale no Whatsapp

Ao contrário da percepção comum, o câncer nem sempre anuncia sua presença por meio de sintomas evidentes ou sinais óbvios. Muitas pessoas recebem um diagnóstico de câncer acidentalmente, quando ele é encontrado durante exames médicos de rotina ou investigações de problemas de saúde não relacionados, como parece ser o caso da princesa e do Rei Charles III.

Embora até mesmo os cânceres silenciosos possam, às vezes, ser agressivos e avançar rapidamente, eles também podem permanecer inativos por anos ou até décadas. Alguns cânceres de próstata, mama e tireoide, por exemplo, geralmente evoluem lentamente sem sintomas óbvios ou sem se espalhar além da área original.

Pesquisas sugerem que alguns desses cânceres são tratados em excesso. Às vezes, é melhor deixar os pacientes em paz ou tratá-los com muito mais cuidado, talvez até sem intervenção médica, usando uma estratégia de “observar e esperar”. Essa abordagem pode ser adotada com o câncer de próstata em idosos, por exemplo.

 

A importância do diagnóstico precoce

Independentemente do tipo de câncer, é sempre importante obter um diagnóstico precoce e, no caso de cânceres silenciosos, isso é obviamente um desafio.

Alguns sintomas de câncer podem ser vagos e facilmente confundidos com doenças benignas. Fadiga, perda de peso inexplicável e dor persistente estão entre os sintomas inespecíficos que podem sinalizar uma malignidade subjacente. Mas esses sintomas podem ser mal interpretados ou facilmente descartados, o que contribui para o atraso no diagnóstico e no tratamento.

Felizmente, em muitos países, incluindo o Reino Unido, temos testes de triagem para doenças como câncer de mama ou de cólon, para aumentar os diagnósticos precoces.

O diagnóstico precoce é um fator essencial para o sucesso do tratamento do câncer. A detecção do câncer em sua fase silenciosa oferece uma janela de oportunidade para a intervenção precoce e melhores resultados. A descoberta de cânceres assintomáticos por meio de exames de diagnóstico por imagem ou de triagem ressalta a importância dessas medidas proativas de saúde.

Identificar o câncer em um estágio inicial significa que a doença está confinada ao seu local de origem, é menor e potencialmente mais fácil de curar. O diagnóstico de um câncer menor geralmente significa que, se for necessária uma operação, ela poderá ser menos invasiva. Também pode haver uma chance menor de precisar de quimioterapia preventiva pós-operatória, para eliminar quaisquer células residuais.

O câncer colorretal (CRC) é um bom exemplo para mostrar a importância crítica do rastreamento. Estudos mostram que os pacientes que participam do rastreamento do CCR, como colonoscopias ou exames que procuram sangue nas fezes, têm maior probabilidade de serem diagnosticados enquanto assintomáticos e têm prognósticos mais positivos após o tratamento. Aqueles diagnosticados com CCR após apresentarem sintomas, como sangramento retal ou alterações nos hábitos intestinais, tendem a ter tumores mais avançados e resultados piores.

As iniciativas de saúde pública destinadas a aumentar a conscientização sobre a importância do rastreamento do câncer e do reconhecimento dos sintomas desempenham um papel fundamental na redução dos atrasos no diagnóstico. Capacitar as pessoas a se envolverem em medidas preventivas de saúde, como vacinas contra o HPV e mudanças no estilo de vida que diminuem o risco, pode facilitar a detecção e a intervenção precoces, possivelmente alterando a trajetória da doença.

Siga-nos no INSTAGRAM

 

Fonte: Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *